EX-DNOCS, GUSTAVO XAVIER ASSUME SEDINOR

EX-DNOCS, GUSTAVO XAVIER ASSUME SEDINOR

Assessor parlamentar fica no cargo até a esperada volta de Paulo Guedes à pasta  Gustavo Xavier (ao fundo) esquenta a…

More...
DOMINGUEIRA: TEMER QUEIMA A LARGADA

DOMINGUEIRA: TEMER QUEIMA A LARGADA

Balanço dos primeiros 10 dias do governo interino mostra mais erros que acertos A primeira semana de trabalho do presidente…

More...
MANGA DISCUTE CURSOS PARA ESCOLA TÉCNICA

MANGA DISCUTE CURSOS PARA ESCOLA TÉCNICA

Consulta pública vai definir conteúdos a serem ministrados pela futura unidade do Programa Brasil Profissionalizado Não há previsão para a…

More...
TRAVESSIA MANGA-MATIAS CARDOSO

TRAVESSIA MANGA-MATIAS CARDOSO

Nova concessionária não vai cobrar tarifa de passageiros O empresário paraense Carlos Roberto Bannach antecipou ao site que não vai…

More...
TRIBUTO AO MEU PAI

TRIBUTO AO MEU PAI

Toda chegada tem seu propósito, toda partida sua razão...  [ATUALIZADO] - Só percebi os limites que a idade impusera ao meu…

More...
O PRIMEIRO ENTRE OS ÚLTIMOS

O PRIMEIRO ENTRE OS ÚLTIMOS

Pressionado pelo PMDB, Zé Vicente assume o comando de Montes Claros na segunda-feira  Zé Vicente & sua gente, quem diria,…

More...
Frontpage Slideshow | Copyright © 2006-2012 JoomlaWorks Ltd.

ARRUDA DE VOLTA À LIDA

No Quarta, 25 Maio 2016 13:47.

O ex-prefeito de Januária Maurílio Arruda começa, pouco a pouco a retomar sua rotina de trabalho e palestras após ter descido ao Inferno de Dante, com duas prisões preventivas nas operações ‘Esopo’ e ‘Exterminadores do Futuro’, esta última há quase dois anos, seguida de temporada em prisão domiciliar. Simultaneamente à longa batalha jurídica que enfrenta para provar o que diz ser sua inocência, Arruda voltou a escrever livros e a ministrar palestras, além de concluir o doutorado que começou na Espanha – atividades às quais se dedicava antes de passar pelo redemoinho que foi a sua gestão em Januária (2009/2012).

Arruda será um dos palestrantes durante o seminário ‘Capacitação em formação Política e gestão administrativa’ com um tema muito em voga. O ex-prefeito, um ardoroso crítico da judicialização da política vai expor suas ideias sobre “O Poder Judiciário e as cassações e suspensões dos mandatos – O Judiciário como trincheira cidadã ou política?”. O curso oferece ainda palestras com os temas Lei da Ficha Limpa, legislação eleitoral, responsabilidades dos partidos e candidatos e projeto de poder ou projeto de governo?. O juiz Frederico Espírito Santo e o professor e advogado Petrônio Braz participam de outras mesas temáticas.

Ainda sobre Arruda, ele garante de pés juntos que não planeja disputar a sucessão do prefeito Manoel Jorge de Castro (PT), em Januária, para quem perdeu a disputa pela reeleição em 2012. O ex-prefeito diz que sua prioridade para agora é provar que é inocente das acusações do Ministério Público. Agora mesmo, ele atua junto ao Conselho Nacional de Justiça, aqui em Brasília, com pedido de punição contra o que considera abuso de autoridade do juiz da 2ª Vara Cível da Comarca de Januária, Marco Antônio de Oliveira Roberto, em decisão que o deixa inelegível por três anos e meio, por suposto crime de improbidade administrativa em razão do suposto uso do informativo do município para promoção pessoal. O que Arruda, claro, nega. Também de pés juntos.

MANGA: SAI O NOME DA EMPRESA DO ASFALTO

No Terça, 24 Maio 2016 22:14.

Ordem de serviço para pavimentação da Avenida Ayrton Senna e Bairro Arvoredo deve sair em junho

 Recurso para pavimentação da Avenida Ayrton Senna será repassado pelo Governo de Minas   

A Prefeitura de Manga, no extremo Norte de Minas, concluiu na segunda-feira (23) a licitação da empresa responsável pelas obras de pavimentação da Avenida Ayrton Senna e vias dos bairros Arvoredo e Novo Cruzeiro. A vencedora do certame foi a Mais Construtora, de Montes Claros, pelo valor de R$ 3,85 milhões. A empresa vai utilizar a técnica conhecida como TSD (tratamento superficial duplo) no asfaltamento dos bairros. Os recursos para a obra são do orçamento do governo estadual, que já repassou à Prefeitura de Manga a metade do valor global do contrato.

O processo licitatório será auditado pela empresa Publica Consultoria, de Belo Horizonte. Não há prazo para a assinatura da ordem de serviço, mas uma fonte ligada ao prefeito de Manga, Anastácio Guedes (PT), diz que a expectativa é de que as obras comecem ainda no mês de junho.

A Mais Construtora venceu as concorrentes RL Construtora e Brito Júnior Construções, desclassificadas ainda na fase de habilitação da documentação, além da Vital Norte Construtora. Esta última empresa apresentou vários recursos à comissão de licitação da Prefeitura de Manga, na tentativa de impugnar o processo – que se arrasta desde o dia 18 de maio, quando os envelopes das participantes da licitação foram entregues.

Susto na oposição

BREJO NO BREU

No Terça, 24 Maio 2016 12:51.

Alô prefeito Anastácio Guedes! Alô Selt Engenharia!, empresa que assumiu, há pouco mais de um mês, o contrato para a manutenção dos serviços de manutenção da iluminação pública no município. A comunidade do Brejo do São Caetano está quase no escuro. As lâmpadas queimadas não têm sido substituídas.

A informação é do ex-vereador e leitor aqui do site Roger Almeida, que tira sarro com a situação: ele diz que a administração resolveu testar na comunidade o projeto piloto do que seria uma espécie de sistema de iluminação lunar. A população fica à espera das noites de lua cheia para poder circular à noite com um mínimo de visibilidade. Tem mais um detalhe: a taxa de iluminação pública, que paga os serviços da Selt Engenharia aparece todo mês nas faturas da Cemig. Cada vez mais salgadas. Prefeito, manda a turma trabalhar.

A iluminação pública em cerca de 70 municípios do Norte de Minas anda de mal a pior desde que o serviço foi transferido, por decisão da agência reguladora do setor, das antigas concessionárias para as prefeituras. No caso mineiro, a Associação dos Municípios da Área Mineira da Sudene (Amams) criou um tal consórcio multitarifário para organizar a prestação do serviço. A licitação de 2013 foi vencida pela empresa espanhola Asolar Energy, que perdeu a concessão para um grupo de quatro empresas em novo leilão no final do ano passado. Até aqui a troca não surtiu muito efeito e as reclamações pipocam em toda a região.       

QUINQUINHA, O CANDIDATO BISSEXTO

No Terça, 24 Maio 2016 07:46.

Para Maurício Magalhães, ex-prefeito de Manga é candidato 'Copa do Mundo', o que só dá as caras na véspera da eleição 

O ex-vereador advogado Maurício Magalhães criticou o reaparecimento do ex-prefeito e novamente candidato Quinquinha Oliveira (PPS) na cena política de Manga. Quinquinha, que emigrou para o município de Januária, onde mantém parte dos seus negócios, começou a virar arroz de festa nos últimos dois meses em Manga. “Esse aí é o candidato conhecido como Copa do Mundo, aquele que só aparece de quatro em quatro anos e sempre nas vésperas das eleições”, dispara Magalhães sobre o novo hábito do ex-prefeito de fazer aparições relâmpagos em eventos em comunidades rurais do município.

Magalhães faz uma constatação que considera ser pública e notória para toda a população de Manga: Quinquinha passou os últimos 3,5 distante das labutas e lutas do povo de Manga. “Desde que se mudou para Januária, ele abandonou seus correligionários e o papel de oposição ao atual prefeito”, anota o ex-vereador. Maurício Magalhães disputou o cargo de prefeito em 2012, quando recebeu reiterados ataques de Quinquinha, que o acusava de não residir em Manga – numa alusão ao fato do então vereador realizar viagens semanais para Janaúba, onde cursou Direito numa faculdade local.

“Fui atacado em palanque pelo então prefeito, porque busquei crescer na carreira ao ir estudar em Janaúba. Ele também foi para Januária para estudar administração de empresas na Unopar, mas a diferença entre nós é que eu não fechei minha residência em Manga, não fui embora do município”, argumenta Magalhães, para quem o povo de Manga precisar estar consciente dos riscos de retornar o ex-prefeito Quinquinha para o comando do município.

“Vamos viver novamente as greves dos funcionários municipais, como aconteceu no governo dele pela primeira vez na história do município? Será que o povo de Manga quer ver a repetição das cenas de tratores invadindo lotes de pessoa pobres e o patrimônio das pessoas sendo desapropriado sem mais nem menos?”, questiona o ex-vereador. Segundo Magalhães, durante seu mandato, Quinquinha cortou o transporte dos professores municipais, além de ter deixado a comunidade de Alto Tamarinho sem abastecimento de água potável por quase três anos.

Lembranças de outro impeachment 

LEI DE MURPHY: COMEÇA SANGRIA DO GOVERNO

No Segunda, 23 Maio 2016 08:33.

A grande curiosidade nos bastidores da política aqui em Brasília nos últimos dias era saber qual seria a primeira baixa do ainda incipiente governo do presidente interino, Michel Temer, do PMDB. Levar boa parte da turma citada na Lava Jato para a nau de um governo nascente não foi atitude das mais inteligentes. Temer se expês demasiadamente à Lei de Murphy, aquela que reza que, se alguma coisa pode dar errado, certamente dará. Quase sempre da pior maneira e com o máximo de dano.

O mundo da grande política amanheceu agitado nesta segunda-feira (23) com mais uma fase da operação Lava Jato, desta vez fungando no cangote do PP, e com a assustadora notícia, publicada pelo jornal Folha de S.Paulo dando conta que o ministro do Planejamento da gestão Michel Temer, Romero Jucá, sugeriu, em gravação do último mês de março, um pacto para deter o avanço sobre o PMDB da Operação Lava Jato, que investiga esquemas de corrupção e desvios de recursos da Petrobras. Jucá estava de bate-papo, ao telefone, com o ex-dirigente da Transpetro Sérgio Machado, investigado pela Lava Jato por supostamente ter repassado propinas cobradas na intermediação de contratos com a Petrobras.

Continua...

LEITURA DINÂMICA

No Domingo, 22 Maio 2016 22:28.

O primeiro informativo de balanço da gestão do petista Anastácio Guedes à frente da Prefeitura de Manga, o jornal ‘Minha Terra’, tem feito o maior sucesso, veja só, na turma ranheta de oposição. As 24 páginas do informativo, com impressão de primeira e tiragem de 3.000 exemplares, foram lidas e relidas em busca de algum indício de autopromoção do nome do prefeito.

Advogados ligados a certo candidato de oposição têm usado lupa na busca por motivos que resultem em constrangimento judicial ao petista, que já se prepara para disputar a reeleição. Vão conseguir? Só o tempo dirá. Produzido pelo assessor Fernando Abreu, o jornal tece muitas loas e louvores à primeira gestão petista no município, mas evita, até onde se percebe numa leitura rápida, transigir o princípio constitucional da publicidade para atos administrativos. No geral, a administração presta contas do que fez e do que imagina ainda vá realizar até o final do mandato.

O prefeito Anastácio, por sinal, tem investido pesado em publicidade. A rádio comunitária da cidade irradia dia e noite seus feitos já concretizados e os futuros – entre eles a urbanização do Parque Uirapuru, que serve de capa ao informativo, como exemplo de futuro que já chegou, mas que não passa de boa promessa.

Anastácio, talvez, nunca tenha ouvido falar de Joseph Goebbels (1987/1945), o ministro da propaganda de Adolf Hitler, mas parece ter aprendido que uma mensagem repetida mil vezes, ainda que não corresponda aos fatos, vai chegar ao ponto de ganhar status de verdade. A oposição também não conhece Goebbels, mas acha que o jornal, que tem sido distribuído de porta em porta na cidade, às vezes aos maços, pode atrapalhar a virada que julgava certa. 

DOMINGUEIRA: TEMER QUEIMA A LARGADA

No Domingo, 22 Maio 2016 11:24.

Balanço dos primeiros 10 dias do governo interino mostra mais erros que acertos

A primeira semana de trabalho do presidente interino, Michel Temer, não chegou a ser um sucesso de público. Nem poderia. Ocupar a cadeira presidencial na esteira de um processo de impeachment, traumático em quaisquer circunstâncias, requer tempo para legitimação. Por outro lado, há o clima de terra arrasada, herdado após 13 anos de acertos, mas também de muitos erros do lulopetismo. A lista de providências a tomar é imensa, o que abre o flanco para erros e resistência popular ante os remédios amargos para sair da crise.   

Feita essa ressalva, não há como fugir da constatação de que o presidente interino poderia ter evitado algumas cascas de bananas que ministros deslumbrados jogaram na porta do seu gabinete. Para não falar da desnecessária polêmica em torno da extinção do Ministério da Cultura, que rendeu, até aqui, a derrota mais acachapante do presidente, obrigado a recuar ante a grita de petistas travestidos de produtores culturais e artistas, contrariados com o fim de regalias como aquelas garantidas pela Lei Rouanet.

O recuo de Temer mancheteia as folhas deste domingo (22) e dá azo para a volta ao dia a dia do país de velhos slogans esquecidos nas gavetas do petismo. O ‘Fora FMI’, ‘Fora Collor’, ‘Fora FHC’ dão lugar ao ‘Fora Temer’. O processo de desmame do PT do governo não será fácil nem pacífico. Sobretudo porque o governo interino oferece farta munição para que o adversário levante a cabeça. Uma delas é a proposta encabeçada por Henrique Meireles (Fazenda) de levar adiante a detestada reforma previdenciária, com a novidade da inclusão da turma da ativa entre os chamados a fazer o sacrifício.

Ora, parece faltar ao governo Temer, vale lembrar, ainda em caráter de interinidade, o respaldo popular para tocar a reforma da Previdência. Uma empreitada desse porte cabe melhor a um presidente recém-saído das urnas, de preferência com maioria incontestável. Se for adiante, esse debate vai manter o país na paralisia, com riscos de aprofundar a depressão que enfrentamos após três anos consecutivos de tombo no PIB. Por outro lado, a reforma é mesmo urgente, o que obriga o governo a não ficar inerte. O ponto de equilíbrio é encontrar modelo de transição que não afete direitos adquiridos. 

No mais, os primeiros 10 dias do Governo Temer não causaram choque positivo nem mesmo aos tais mercados, a despeito do esforço em implantar agenda liberal com promessas de ajustes e sacrifícios para todo mundo, essencialmente os mais pobres – que serão, por óbvio, os primeiros a pagar a conta da confusão fiscal herdada da era Dilma Rousseff.

Bate cabeças

EX-DNOCS, GUSTAVO XAVIER ASSUME SEDINOR

No Sábado, 21 Maio 2016 13:12.

Assessor parlamentar fica no cargo até a esperada volta de Paulo Guedes à pasta

 Gustavo Xavier (ao fundo) esquenta a cadeira da Sedinor até a volta do titular Paulo Guedes (Foto: Eustáquio Narciso)

[EXCLUSIVO]- A edição do Diário Oficial do Estado de Minas Gerais deste sábado (21/5) traz a nomeação do assessor parlamentar Gustavo Xavier Pereira para o cargo de adjunto da Secretaria de Desenvolvimento e Integração do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Sedinor). Xavier assume, ainda que interinamente, a vaga do deputado estadual Paulo Guedes (PT), convocado pelo governador Fernando Pimentel para retornar à Assembleia Legislativa de Minas Gerais no início deste mês, com o objetivo contribuir nos debates em torno da nova fase da reestruturação administrativa promovida pelo governo estadual.

O petista Gustavo Xavier ocupou a coordenação estadual do Departamento de Obras Contra Seca, o Dnocs, em Minas Gerais, até dezembro do ano passado – quando foi rifado pela então presidente Dilma Rousseff, apertada de costura com a urgência em cabalar votos que a livrasse do impeachment. Gustavo Xavier, como se sabe, foi imolado por coisa nenhuma. Dona Presidenta foi cassada e traída pelo PP, como seria óbvio supor, e levou o Dnocs mineiro e outras avenças mui graciosamente.

Na ocasião, coube ao deputado federal mineiro Toninho Pinheiro indicar Adauto Marques para o lugar de Gustavo Xavier. Ao retirar o pirulito do Dnocs das mãos de Xavier, Dona Presidenta podou um bom pedaço do poder que o deputado Paulo Guedes havia conquistado em Minas, após sair das últimas eleições como o deputado mais votado da história do Estado.

Além de foi coordenador estadual do Dnocs, Gustavo Xavier também foi chefe de gabinete no Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic), quando Fernando Pimentel mandava por lá, além de atuar como assessor parlamentar do deputado estadual Paulo Guedes – que operou para retirá-lo das estatísticas dos 12 milhões de desempregados que Dona Presidente legou ao país.

Interino

NÓS AQUI OUTRA VEZ

No Sábado, 21 Maio 2016 09:40.

O prefeito de Manga, Anastácio Guedes (PT), conseguiu mobilizar a comunidade escolar da cidade para servir de claque na consulta pública convocada para definir os cursos que serão oferecidos pela futura escola técnica federal, em construção na cidade. A obra, que se arrasta há quase quatro anos, faz parte do Programa Brasil Profissionalizado, iniciativa do Ancien Régime (leia-se Lula e Dilma Rousseff) para integrar o segundo grau com a formação profissional em áreas do conhecimento adequadas à realidade regional.

O deputado Paulo Guedes (PT) ciceroneou a visita do subsecretário de Ensino Superior, Márcio Rosa Portes, à cidade. Como é de praxe nessas ocasiões, Guedes roubou a cena. Deitou falação sobre a importância da escola como símbolo do legado que a primeira gestão petista já garantiu para o município assim que viu a lotação máxima do auditório adaptado na área da quadra poliesportiva da Escola Municipal Padre Ricardo Tristcheler, Caic do Barro Arvoredo.

SINDICÂNCIA DO PSB OUVE VERSÃO DE RUY MUNIZ

No Sexta, 20 Maio 2016 13:42.

Prefeito afastado recebeu comissão no hospital e diz que só não disputa a reeleição se estiver morto

 Encontro no hospital: presidente da Comissão de ética, deputado Roberto Andrade (papel branco na mão), ao lado de Pávilo Miranda e Levy Castilho (D), da executiva local. À esquerda, o prefeito Fernando Pereira.  

O prefeito afastado de Montes Claros, Ruy Muniz, recebeu, na quinta-feira (19), equipe da comissão ética do diretório estadual do PSB responsável pela realização da sindicância interna que vai instruir o processo que pode ter como desfecho a expulsão do empresário do partido. Preso há pouco mais de um mês, em 18 de abril, durante a operação “Máscara da Sanidade II – Sabotadores da Saúde”, Muniz recebeu os sindicantes no leito que ocupa no Hospital Prontossocor, em Montes Claros, para onde foi levado na semana passada, logo após apresentar quadro de arritmia cardíaca.

Ruy prestou depoimento ao deputado estadual Roberto Dias Andrade e ao atual prefeito de Lagoa Santa, Fernando Pereira, que foram ao Norte de Minas para ouvir o contraditório do prefeito afastado de Montes Claros sobre os fatos que motivaram a sua prisão. O outro membro da comissão de ética, o deputado federal e segundo presidente do partido em Minas, Sérgio Lúcio de Almeida, o Tenente Lúcio, não participou da audiência e foi substituído pelo ex-deputado Isaias Silvestre.

O PSB saiu do encontro no Prontossocor bem menos propenso a expulsar o enrolado Ruy Muniz. A tendência é de que ele perca a presidência do diretório municipal em Montes Claros, mas não a filiação partidária – o que lhe garante janela aberta para a hipótese de deixar a prisão ainda a tempo de voltar ao jogo da própria sucessão. Confiante mesmo diante de circunstâncias nem tão favoráveis, Muniz disse que só não será candidato se “morrer até o dia da convenção”.

Muniz alegou inocência em relação às acusações de que teria usado o cargo de prefeito para manipular a destinação de verbas do SUS para quatro hospitais públicos ou filantrópicos que atuam na cidade e que seriam responsáveis pelo atendimento à população global estimada em 1,6 milhão de pessoas, moradoras de mais de 160 municípios do Norte de Minas e sudoeste da Bahia. Segundo o Ministério Público, Muniz priorizou o atendimento do SUS para a Âmbar Saúde, entidade que administra o Hospital Mário Ribeiro, de sua propriedade.

“O partido tomou o cuidado de analisar todo o processo para não tomar uma decisão precipitada que possa deixar o prefeito inelegível”, explicou o presidente da comissão, deputado Roberto Andrade, após ouvir versão de Muniz sobre os fatos que levaram à sua detenção em episódio que ganhou repercussão nacional, porque aconteceu um dia após a primeira-dama do município, a deputada federal Raquel Muniz ter dito que sua gestão seria exemplo para o país, durante a votação do impeachment da presidente Dilma Rousseff. O prefeito, por sinal, vai para prisão domiciliar, com monitoramento por tornozeleira, assim que receber alta do hospital.