DILMA DIZ QUE INTERNET NÃO PODE SER ESPAÇO DE INTOLERÂNCIA

DILMA DIZ QUE INTERNET NÃO PODE SER ESPAÇO DE INTOLERÂNCIA

  [Com Agência Brasil] - A presidente A presidenta Dilma Rousseff disse hoje (7), durante o lançamento do Pacto Nacional…

More...
CRISE BATE NA OCUPAÇÃO

CRISE BATE NA OCUPAÇÃO

Desemprego sobe para 7,4% no trimestre encerrado em fevereiro, diz IBGE [AGÊNCIA BRASIL] - A taxa de desemprego no país…

More...
PARA LEVY, 2015 SERÁ ANO DE TRANSIÇÃO PARA A ECONOMIA

PARA LEVY, 2015 SERÁ ANO DE TRANSIÇÃO PARA A ECONOMIA

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, disse na sexta-feira (10), durante pronunciamento na comemoração dos 50 anos do Conselho Monetário…

More...
PARA AGILIZAR ENTREGAS, TÁCIO MEXE NO TIME

PARA AGILIZAR ENTREGAS, TÁCIO MEXE NO TIME

Anastácio prepara reforma administrativa que separa Obras de Transportes e leva Pimenta para a Administração O prefeito de Manga, o…

More...
UNIMONTES ACABA COM ACESSO VIA VESTIBULAR

UNIMONTES ACABA COM ACESSO VIA VESTIBULAR

Universidade planeja aderir ao Sisu a partir do primeiro semestre de 2016 [DA AGÊNCIA UNIMONTES] - A Universidade Estadual de…

More...
MANGA TEM 100 VAGAS NO CONCURSO UNIFICADO

MANGA TEM 100 VAGAS NO CONCURSO UNIFICADO

Município descarta necessidade de novo plano de cargos e salários, o que agiliza processo A demora da Prefeitura de Manga…

More...
Frontpage Slideshow | Copyright © 2006-2012 JoomlaWorks Ltd.

SEGUE A DANÇA DAS CADEIRAS...

No Sábado, 18 Abril 2015 19:33.

Saruga é o novo procurador da Fazenda em Manga 

[Imagem extraída do perfil no Facebook]

O advogado Edilson da Silva Pinto, o Saruga, assumiu, há pouco mais de uma semana, o cargo de procurador da Fazenda Municipal em Manga. Saruga substitui a advogada Kelly Cristina Lacerda, de Montes Claros, que pediu demissão da função para evitar os constantes e cansativos deslocamentos entre as duas cidades. “Estou pronto para o desafio de contribuir para a defesa dos interesses do município”, disse Saruga ao site.

Esta é a segunda mudança na administração anunciada no intervalo de apenas uma semana (aqui). O ex-vereador Geovanni Pimenta vai assumir a Secretaria de Planejamento e Gestão em lugar de Diogo Moreira, que será remanejado para o gabinete do prefeito. Será criada ainda a Secretaria de Obras, desmembrada dos Transportes e ainda sem nome definido para assumir o cargo.


A advogada Kelly Cristina, que recebeu como última missão no cargo a incumbência de representar o município nas negociações para realização do concurso público unificado, previsto para acontecer até o final deste ano, ficou mais conhecida dos manguenses por ter apelidado iniciativa do prefeito Anastácio Guedes (PT), que, em setembro de 2013, equiparou os vencimentos da procuradora da Fazenda do município com os do procurador jurídico, o advogado Reginaldo Rodrigues Santos Júnior.

Na ocasião, os salários da então procuradora da Fazenda foi elevado de R$ 2,2 mil para R$ 3,7 mil. A então oposição ao prefeito na Câmara, que agora não existe mais, apelidou a inciativa de ‘Lei Kelly Cristina’.

UM RAIO DUAS VEZES, NO MESMO LUGAR?

No Sábado, 18 Abril 2015 13:22.

Um bom entendedor dos bastidores da política januarense avalia não ser totalmente improvável que o atual prefeito, Manoel Jorge (PT), consiga um segundo mandato nas eleições do ano que vem. Tudo isso a despeito da administração que melhorou, sem dúvidas, mas que ainda segue devagar quase parando e da débâcle do petismo – para não falar na frustração das muitas promessas de que, daqui para frente, com Dona Presidenta e Fernando Pimentel nos executivos do país e em Minas, seria diferente.

E de onde viriam as chances de Manoel Jorge? Do simples fato de que não há oposição visível no município. O ex-prefeito Maurílio Arruda, que antecedeu o petista é carta fora do baralho. O mesmo se pode falar do grupo que um dia foi liderado por João Lima (PSDB) e que derivou nos satélites Sílvio Aguiar (PMDB) e Josefino Lopes Viana (PP), defenestrados do cargo em seguidos escândalos que levaram a cidade ao status de piada pronta e total descrédito.

Manoel Jorge tem o mérito, até aqui, de ter estancado a onda de corrupção que dominou o município nos últimos anos, mas ainda está muito longe de ser o nome com potencial para entrar nos nais da história da política local. Sua eventual derrota nas urnas em 2016 poderia ter origem em fato novo na política no local. Da velha safra política do município, quem ainda tem algum poder de influenciar os rumos da vida política local é o ex-deputado Cleuber Carneiro, por conta do amplo domínio na mídia falada e televisionada. No mais, há rumores de que esse ou aquele empresário vai se apresentar como o salvador da pátria, mas, voto que é bom, os postulantes não têm.

STJ NEGA RELAXAMENTO DE PRISÃO A ARRUDA

No Sábado, 18 Abril 2015 10:42.

Ex-prefeito segue em prisão preventiva domiciliar em Montes Claros

O advogado e ex-prefeito de Januária, Maurílio Arruda (2009\2012) passou por novo revés no embate judicial que trava para se defender das acusações de improbidade durante a passagem pelo cargo. A quinta turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) rejeitou, esta semana, recurso em habeas corpus apresentado por Arruda, que responde à acusação de crimes contra a administração pública e está em prisão preventiva domiciliar desde meados do ano passado.

Arruda e o então secretário municipal de Educação Alexandre Sá Rego, além de Fabiano Durães, empresário sócio em firma vencedora de licitação, são investigados, segundo nota publicada na sexta-feira (17) no sítio do STJ, na internet, por suposto envolvimento em 19 crimes. Além do delito de formação de quadrilha, a acusação cita oito fraudes à licitação e dez crimes de responsabilidade, os quais teriam causado prejuízo de cerca de R$ 580 mil à fazenda pública.

O ex-prefeito Arruda foi detido por algumas horas pela Polícia Federal pela primeira vez em setembro de 2013 – durante a operação Esopo. Posteriormente, em julho de 2014, ele voltou a ser preso durante a operação batizada de Exterminadores do Futuro, acusado de participação em desvios de verbas na educação. Arruda, que chegou a ficar detido no Presídio Nelson Hungria, em Contagem, por alguns dias, conseguiu progressão para o regime domiciliar pelo fato de ser advogado. Ainda em prisão domiciliar, o político disputou as eleições de 2014, quando concorreu sem sucesso a uma vaga na Assembleia Legislativa de Minas.

Intimidação de testemunha

BATUQUE NA CULTURA EM MANGA

No Quinta, 16 Abril 2015 17:07.

Com o argumento de que crise vai diminuir receitas, prefeito desiste de criar secretaria para o setor

[Imagem extraída do perfil no Facebook]

Se decidisse reunir todos os candidatos que pleiteiam ou já sonharam em ocupar o ainda inexistente cargo de secretário de Cultura, Esporte, Lazer e Turismo do município, o prefeito de Manga, Anastácio Guedes (PT), teria que autorizar reforma de emergência para ampliar o tamanho do seu gabinete. A lista de postulantes ao cargo não é pequena e inclui jornalistas, desportistas, sindicalistas, petistas e outros tantos ‘istas’ que o leitor desejar somar à conta.

Prometida desde a posse do atual prefeito, a Secretaria de Cultura não deve sair do papel. Uma fonte com assento próximo ao gabinete de Anastácio diz que a proposta agora é trazer à luz uma Diretoria de Cultura, no embalo da reforma administrativa que inclui a criação da Secretaria de Obras, a ser desmembrada dos Transportes. O titular da futura Diretoria de Cultura e apensos será o jornalista Fernando Abreu, que responde extraoficialmente pelo setor há quase três meses. A secretaria que não deve mais existir chegou a ser oferecida ao professor Sidclei Pereira, do PCdoB, durante a campanha eleitoral do ano passado, com forma do partido participar da administração, mas a nomeação, com a consequente criação da pasta, acabou não acontecendo.

Logo após o prefeito Anastácio tomar posse, no início de janeiro 2013, seus assessores davam com certa a elevação da Cultura ao status de instância do primeiro escalão da administração, com o desmembramento do setor da Secretaria da Educação. O pacote previa ainda a criação da Secretaria do Meio Ambiente, mas a decisão foi adiada por tempo indeterminado com o argumento de não havia ‘clima’ para a ampliação da estrutura administrativa enquanto perdurasse o estado de emergência de financeira e administrativa que vigorava no município.

Agora, é a crise financeira que o país atravessa e que ameaça derrubar a arrecadação dos municípios e que serve como justificativa para adiar sine die a criação da pasta. O meio ambiente, contudo, vai ganhar status de secretaria, com a criação da futura Secretaria de Agronegócios e Meio Ambiente, em projeto que tramita na Câmara de Vereadores.

Cargo disputado...

MANGA TEM 100 VAGAS NO CONCURSO UNIFICADO

No Quinta, 16 Abril 2015 15:50.

Município descarta necessidade de novo plano de cargos e salários, o que agiliza processo

A demora da Prefeitura de Manga em encaminhar uma nova proposta de cargos e salários para apreciação dos vereadores tem uma explicação: o município chegou à conclusão de que não precisa modificar lei já existente que trata do assunto, aprovada ainda durante a gestão anterior. Os municípios tiveram prazo até o final de fevereiro para o encaminhamento e aprovação dos projetos de lei, autorizando o concurso público pelas câmaras municipais. Mas, no caso de Manga, o prefeito Anastácio Guedes (PT) vai precisar somente da autorização legislativa para lançar o edital com cerca de 100 novas vagas.

A valer esse entendimento, o município estaria praticamente apto a participar do concurso unificado proposto pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) para colocar ponto final nas contratações de servidores por indicação política. O ainda secretário de Administração do município, Diogo Moreira, disse ao site, no início deste ano, que o número de vagas oferecidas em avaliação preliminar chegaria aos 200 cargos. O edital conjunto deve ser publicado até o final do mês de maio.

Segundo a ex-procuradora da Fazenda do município Kelly Cristina de Moura Lacerda, que até a semana passada representava a Prefeitura nas negociações com o MP e a Universidade de Montes Claros (Unimontes), Manga já enviou toda a documentação necessária à participação no certame unificado. A Unimontes é a instituição responsável por subsidiar os projetos de lei relativos aos cargos a serem preenchidos e à definição dos respectivos vencimentos, além da aplicação das provas por meio da Comissão Técnica de Concursos (Cotec).

Há pouco mais de um ano, o Ministério Público firmou termo de ajuste de conduta (TAC) com cerca de 70 prefeitos do Norte de Minas, que se comprometiam a participar da concertação que colocaria fim velho hábito do apadrinhamento político na contratação de servidores temporários para preencher as necessidades por aumento de quadro. O acordo contou com a participação, além da Unimontes, da Associação dos Municípios da Área Mineira da Sudene (Amams) e a Associação dos Municípios do Médio São Francisco (Ammesf), com o respaldo do Ministério Público do Trabalho (MPT) e do Tribunal de Contas de Minas Gerais.

Fim dos contratos temporários

O LIXO DO LUXO

No Quarta, 15 Abril 2015 10:33.

Cobrança abusiva da taxa do lixo dá munição a Souto em Montes Claros

O ex-deputado federal Humberto Souto (PPS) vai jogar lenha na fogueira do aumento na cobrança da taxa do lixo em Montes Claros, instituída no ano passado pelo prefeito Ruy Muniz (PRB). Souto vai entrar ao vivo, na manhã desta quinta-feira, em duas emissoras de rádio que controla na cidade. 

Nos microfones das rádios FM Transamérica e no AM Educadora, o ex-ministro do Tribunal de Contas da União vai apontar sua borduna retórica, que inclui ainda forte discurso em favor da ética na vida pública, contra a tentativa do prefeito Muniz em manter os altos valores cobrados para recorrer o lixo na cidade.

Na planície dos sem cargos, desde que foi derrotado em tentativa de voltar ao Congresso Nacional no ano assado, o ex-deputado mira o cargo agora ocupado por Muniz e tenta se posicionar perante os olhos da população como alternativa ao atual prefeito. No rádio, Humberto Souto vai bater no argumento de que, apesar da cobrança abusiva, a coleta do lixo não registrou melhorias desde que a taxa foi majorada.

A Câmara Municipal de Montes Claros tenta derrubar a cobrança das taxas, mas o prefeito conseguiu, até aqui, evitar que o assunto vá a plenário. A bancada governista na Casa tem negado quórum para a votação de projeto que propõe tornar sem efeito o reajuste da taxa de recolhimento de lixo. O assunto mobiliza a população local, mas só deve retornar ao Plenário daqui a duas semanas, por conta do feriado nacional do Dia de Tiradentes, na próxima terça-feira.

AVE, CÉSAR!

No Terça, 14 Abril 2015 18:40.

O presidente da Associação dos Municípios Mineiros da Área da Sudene (Amams) e prefeito de Capitão Enéas, César Emílio Lopes (PT), distribuiu mensagem aos jornalistas da região, há coisa de uma semana, em homenagem pela passagem do dia desses profissionais. Até aí tudo bem, as notas de congratulações vieram de todo os lados. No caso de César, a diferença é que ele parecia homenagear a si mesmo com a iniciativa, já que ilustrou a peça com uma imagem em que aparece rodeado por meia dúzia de jornalistas, por ocasião da sua posse na Amams.

César Emílio tenta pavimentar o caminho para a Assembleia Legislativa de Minas, por isso não perde oportunidade para ser a ‘pauta’. Na mensagem, o laborioso prefeito de Capitão Enéas disse a Associação dos prefeitos é “grande e respeitada junto aos governos estadual e federal, porque conta com a participação dos jornalistas que ajudam na divulgação das lutas e conquistas em favor da população norte-mineira”. É, pois é.

UNIMONTES ACABA COM ACESSO VIA VESTIBULAR

No Segunda, 13 Abril 2015 14:33.

Universidade planeja aderir ao Sisu a partir do primeiro semestre de 2016

[DA AGÊNCIA UNIMONTES] - A Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes) vai aderir ao Sistema de Seleção Unificada (Sisu), do Ministério da Educação (MEC), para o ingresso aos seus cursos de graduação. A proposta de adesão está prevista para entrar em vigor a partir do primeiro semestre de 2016. Um grupo de trabalho foi constituído com o objetivo de agilizar a implantação no âmbito da universidade.

Instituído por intermédio de portaria assinada pelo reitor João dos Reis Canela, o grupo de trabalho é formado por professores da universidade, sendo presidido pela pró-reitora adjunta de Ensino, Francely Aparecida dos Santos. A professora explica que, conforme estabelecido em portaria, o grupo de trabalho vai atuar junto à comunidade acadêmica, acolhendo propostas e sugestões das diretorias de centros, departamentos e colegiados de coordenação didática para a efetivação da adesão ao sistema de seleção unificada do MEC. Um dos itens que será avaliado é o número de vagas disponibilizadas.

BALSAS INTERDITADAS EM MANGA

No Domingo, 12 Abril 2015 20:58.

Marinha lacra três embarcações na travessia Manga/Matias Cardoso

Imagem: Folha do Vale

A Capitania dos Portos de Pirapora interditou, no final da tarde da sexta-feira (10), três das seis balsas que prestam os serviços de travessia no Rio São Francisco entre os municípios de Manga e Matias Cardoso, no extremo Norte de Minas Gerais. As embarcações Margarida (Eurico Matos Rocha), Primavera (Douglas Pereira Lima) e a Três Marias 2 (Genésio Pereira Costa) foram lacradas pelos oficiais da Marinha, por supostas irregularidades na documentação que autoriza a operação naquele ponto do rio.

Não há previsão de quando elas serão liberadas para o transporte de veículos entre as duas margens do rio. O site apurou que os proprietários das empresas responsáveis pelas embarcações seguem para Pirapora ainda nesta segunda-feira para tentar reverter o embargo.

Licitação suspensa

ARTIGO: UNIVERSO EM DESENCANTO

No Domingo, 12 Abril 2015 11:06.

Desconfiado, brasileiro sabe que buraco velho pode ter cobra dentro

 

Talvez nem tão subitamente assim, cresce a sensação de que o Brasil passa por uma crise de lideranças - para muito além daquelas financeira, política e ética já sabidas. O efeito mais perverso disso: a desesperança começa a ganhar espaço, mesmo ante a velha e acomodada promessa de que seriamos o país do futuro. Voos de galinha em várias áreas, que se manifestam em repetitivos retornos ao ponto de partida, minam os ânimos e a crença de que esse país-eldorado realmente terá lugar e vez em algum momento do porvir. 

Os dias melhores que não virão foram prorrogados pela ditadura, a crise do petróleo, a dívida externa e o vilão FMI que nos levaram às décadas perdidas, a inflação galopante, o impeachment do Collor, a crise financeira de 2008, as crises de energia e agora da água, e por aqui estamos. O Brasil, que parecia imune aos solavancos que abalaram o resto do mundo na crise dos sub-prime acordou, para efeito do inconsciente popular, na fragorosa derrota de 7 X 1 para a Alemanha, naquela trágica tarde que teve como palco o novo Mineirão.

Na percepção e imaginário popular, foi naquele episódio que o país se encontrou frente a frente, ainda que sob efeito do simbólico, com o limite das suas possibilidades - ou impossibilidades, se o leitor preferir. Em curto espaço de tempo, apenas 10 meses, sobrevieram as eleições presidenciais mais disputadas desde a redemocratização e o rasgar das cortinas que escancaram a crise financeira e política que tudo leva de tropel - inclusive os sonhos das novas classes médias apresentadas ao mundo do consumo durante o bom das commodities que animaram a Era Lula.   

Neste ponto volto à crise de lideranças – que não é prerrogativa do território da política, vale dizer. Nossos voos de galinha, aqueles de curto alcance, também se aplicam ao mundo dos negócios, onde exemplo bem ilustrativo é o de Eike Batista, que dispensa apresentação.

De volta ao mundo da política e economia, há ameaça não desprezível de que nossas conquistas dos últimos 30 anos se invalidem: a normalidade democrática (com essa conversa descabida da volta dos militares ao poder), a estabilidade inflacionária com moeda forte, os avanços que indicam a universalização da educação, redução nos índices africanos das desigualdades sociais, a regularidade fiscal nas contas públicas, e tantas outras.

Tudo isso parece se perder diante do labirinto em que novamente nos encontramos. Um governo que se fragilizou por esconder a verdadeira situação das contas públicas, que tem em seu entorno uma classe política e partidos todos com baixa credibilidade. As instituições funcionam, mas parecem incapazes de estancar a maré de escândalos que estouram em velocidade cada vez maior, no que neutraliza a capacidade de indignação que dá lugar ao desalento e conformismo abnegado.

Buscar culpados ajuda pouco, mas de onde vem essa incapacidade de mudar o rumo das coisas? Não demora muito e veremos na mídia as notícias de que os brasileiros estarão novamente indo embora, em busca de lugares e dias melhores. Essa nova diáspora, que já começou, e por enquanto com aqueles brasileiros que têm posses para tanto ou cérebros que atraem a cobiça de universidades e empresas estrangeiras. Movimento parecido com o do futebol, que exporta seus melhores valores e deu no que sabemos, ao desfalcar o país dos seus melhores talentos.

A esperança, como cantou o Paralamas...