FALTOU PANO PRA MANGA?

FALTOU PANO PRA MANGA?

Oposição alivia para Quinquinha, o ímprobo, e Luiz do Foguete vê o cavalo para o poder passar arreado A primeira…

More...
A PONTE DO SÃO FRANCISCO

A PONTE DO SÃO FRANCISCO

Pimentel pode autorizar obras da ponte entre Pintópolis e São Francisco nesta terça-feira Expectativa do mundo político no Norte de…

More...
O TOMA E DEVOLVE DE TEMER

O TOMA E DEVOLVE DE TEMER

Governo vai liberar saque de contas do PIS/Pasep para idosos Da Agência Brasil O governo vai liberar o saque de…

More...
 PROCESSADOS POR FALTA DE TRANSPARÊNCIA

PROCESSADOS POR FALTA DE TRANSPARÊNCIA

Três municípios mineiros na mira do Ministério Público por descumprir lei de acesso à informação O Ministério Público Federal (MPF)…

More...
IMPROBIDADES RECORRENTES 2

IMPROBIDADES RECORRENTES 2

Prefeito de Manga dispensa de licitação escritório que atuou na campanha eleitoral para livrá-lo da inexigibilidade O prefeito de Manga,…

More...
QUINQUINHA TEM DUAS NOVAS CONDENAÇÕES POR IMPROBIDADE

QUINQUINHA TEM DUAS NOVAS CONDENAÇÕES POR IMPROBIDADE

Numa única sentença, juiz decreta duas novas perdas do cargo para prefeito de Manga >> Dispensa de licitação em contratos…

More...
Frontpage Slideshow | Copyright © 2006-2012 JoomlaWorks Ltd.
Imprimir

FIM DO PRIMEIRO CAPÍTULO DA NOVELA

No 12 Julho 2017.

Moro condena Lula a nove anos e seis meses de prisão no caso triplex

Chega ao final as expectativas que rondava os meios políticos do país há alguns meses. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu a primeira condenação no âmbito da Operação Lava-Jato. O juiz federal Sergio Moro, responsável pela Operação Lava Jato na primeira instância, divulgou, nesta quarta-feira (12), a sentença que condena o ex-presidente a nove anos e seis meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O assunto repercute no mundo inteiro e, por aqui, há quem estranhe a coincidência da condenação sair no mesmo dia da repercussão da aprovação da reforma trabalhista no Senado Federal.

A condenação é relativa ao processo que investigou a compra e a reforma de um apartamento triplex em Guarujá, no litoral de São Paulo. Moro, no entanto, não arriscou em mandar Lula de imediato para a cadeia. A sentença prevê que Lula poderá recorrer da decisão em liberdade. Na decisão, Moro afirma que as reformas executadas no apartamento pela empresa OAS provam que o imóvel era destinado ao ex-presidente.

“Nem é necessário, por outro lado, depoimento de testemunhas para se concluir que reformas, como as descritas, não são, em sua maioria, reformas gerais destinadas a incrementar o valor do imóvel, mas sim reformas dirigidas a atender um cliente específico e que, servindo aos desejos do cliente, só fazem sentido, quando este cliente é o proprietário do imóvel.

Segundo Moro, ficou provado nos autos que o presidente Lula e sua esposa eram os proprietários de fato do apartamento. O caso do tríplex era considerado o de absolvição mais provável, por que não há escritura do imóvel em nome do petista. O apartamento, por sinal, chegou a ser listado como garantia da Construtora OAS numa operação de debentures

No despacho, o juiz Sérgio Moro diz que “as provas materiais permitem concluir que não houve qualquer desistência em fevereiro de 2014 ou mesmo em agosto de 2014. A reforma do apartamento 164-A, triplex, perdurou todo o ano de 2014, inclusive com vários atos executados e mesmo contratados após agosto de 2014”.

No despacho, Moro também destacou a influência do ex-presidente nas nomeações da Petrobras. “O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tinha um papel relevante no esquema criminoso, pois cabia a ele indicar os nomes dos diretores ao Conselho de Administração da Petrobras e a palavra do governo federal era atendida. Ele, aliás, admitiu em seu interrogatório, que era o responsável por dar a última palavra sobre as indicações”.

Léo Pinheiro 

O ex-presidente da OAS José Aldemário Pinheiro Filho conhecido como Leo Pinheiro, também foi condenado no caso, mas por corrupção ativa e lavagem de dinheiro. A sentença prevê 10 anos e 8 meses de reclusão para o empresário, mas sua pena foi reduzida devido ao fato ter fechado acordo de delação com a Justiça. Na sentença, o juiz absolveu Lula e Léo Pinheiro das acusações de corrupção e lavagem de dinheiro no caso do transporte e armazenamento do acervo presidencial por falta de provas. Moro absorveu por falta de prova, Paulo Roberto Valente Gordilho, Roberto Moreira Ferreira e Fabio Yomamime.

Lula responde a cinco processos na Lava Jato. Nesta semana, o Ministério Público pediu a absolvição do ex-presidente em um dos prpocessos, relativo a uma investigação da Justiça Federal sobre a suposta tentativa de obstrução da Justiça por parte de Lula.

[Com Agência Brasil]


Leia também:

A PELEJA DE LULA COM O JUSTICEIRO MORO

Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Entre os termos de uso do espaço para comentários estão a restrição a comentários racistas, misóginos e homofóbicos, além de xingamentos e apologias ao uso de drogas ilícitas, crimes inafiançáveis ou proselitismo partidário. Os comentários serão moderados ou recusados para evitar excessos.


Código de segurança
Atualizar