Artigos

Imprimir

NEGÓCIOS & CIA

No Quinta, 06 Junho 2013 19:30.

O ex-prefeito de Manga Quinquinha Oliveira (sem partido) fez saída estratégica da cena política. Fonte próxima ao prefeito disse ao site que o ex-prefeito avalia que suas empresas ficaram à deriva no período de pouco mais de cinco anos em que ele ocupou a cadeira de prefeito em Manga. Por essa análise, teria Chegado o momento do instinto empresarial falar mais alto e de recuperar o que seria tempo (e dinheiro) perdido.

Quinquinha tem lançado mão do Facebook para tentar ‘comunicar’ com o seu público-eleitor. Foi por meio dessa ferramenta que ele compartilhou a nova logomarca (foto) das suas empresas do ramo de distribuição de combustíveis, com postos em Manga e Januária. O grupo passa a se chamar agora Rede Oliveira e deve fechar contrato de exclusividade com as bandeiras Ale, Shell ou Ipiranga.

Imprimir

NA TRIBUNA

No Quarta, 05 Junho 2013 14:00.

Paulo Guedes reassume liderança da minoria na ALMG

O norte-mineiro Paulo Guedes (PT) reassumiu a liderança da minoria na Assembleia Legislativa de Minas. O cargo equivale ao de líder da oposição na Casa, porque reúne parlamentares do chamado Bloco Minas Sem Censura, frente formada, além do PT, por PMDB, PRB e PCdoB. Guedes deixa a liderança do PT, extinta com a retomada do Minas sem Censura, cargo que ocupava na legislatura anterior. O deputado Sávio Souza Cruz (PMDB) é o novo líder do Bloco Minas Sem Censura.

O movimento tem o objetivo declarado de fortalecer a oposição ao governo tucano nesse ambiente de disputa eleitoral antecipada. Para Paulo Guedes, a volta do Bloco representa a força para enfrentar a ‘farsa’ do governo de Minas. Paulo Guedes reforçou que a atuação do Bloco terá três eixos: enfrentamento ao governo Anastasia, divulgação das obras do governo federal e o projeto 2014, com as oposições unificadas para derrotar o projeto tucano em Minas Gerais.

Imprimir

ECOS DA OPERAÇÃO SERTÃO - VEREDAS

No Sábado, 01 Junho 2013 18:02.

Prorrogada a prisão temporária de sete pessoas detidas pela Polícia Federal na última segunda-feira

Imagem: Vailton Ferreira

O juiz David Pinter, da Comarca de Januária, concedeu na sexta-feira (31), o pedido de prorrogação da prisão temporária de sete das 14 pessoas detidas na última segunda-feira, durante a operação “Sertão-Veredas", realizada pela Polícia Federal e o Ministério Público do Estado de Minas em cidades do Norte de Minas.

O grupo, que está sob custódia da Polícia Federal no presídio regional de Montes Claros, é suspeito, segundo denúncia do Ministério Público, de participar de esquema que terá desviado recursos avaliados em R$ 5 milhões das Prefeituras de Januária e Itacarambi. O dinheiro desviado dos cofres públicos teria sido investido em imóveis em cidades do Norte de Minas e no litoral baiano e capixaba.


A prisão dos envolvidos, pelo prazo de cinco dias, tinha prazo até a meia-noite de ontem e alguns advogados já estavam a postos para acompanhar a liberação dos seus clientes. Continuam detidos por mais cinco dias os empresários Marcus Vinícius Crispim, o Corby (apontado como líder do esquema que patrocinava fraudes em licitações), João Alves Teles, David Gonçalves Taboadas, além de Fabiano Ferreira Durães, o advogado e ex-procurador da Prefeitura de Januária Vandeth Mendes e Júnior e Nestor Fernandes de Moura Neto, ex-secretário de Administração da Prefeitura de Itacarambi, durante o mandato do ex-prefeito Rudimar Barbosa (PMDB), que também foi detido, após se apresentar à Polícia Federal na última quarta-feira.

Seis foram liberados

Imprimir

ARTIGO: FORA DO COMPASSO

No Sexta, 31 Maio 2013 13:15.

Safra de más notícias para o governo e as ilações que podem advir daí

A semana de feriado prolongado não tem sido boa para o governo. Além de notícias ruins nos números das contas públicas, veio a ducha de água fria com a divulgação do PIB do primeiro trimestre de 2013 (a soma de todas as riquezas produzidas pelo país). O número ficou em 0,6%, bem abaixo do que se esperava e estampa o que já sabia: o país demonstra baixo nível de investimentos, mesmo em período em que prometia boa colheita nessa seara, com a maturação das obras de infraestrutura para a Copa do Mundo.

Pelo andar da carruagem, a esperada recuperação econômica não vai acontecer neste ano da graça 2013 e, talvez, nem mesmo no próximo ano, que será de eleições presidenciais.

Na sequência do PIB mixuruca, veio outra surpresa desagradável: o comitê de política econômica do Banco Central (Copom) elevou a taxa básica de juros na economia em meio ponto percentual (de 7,5% para 8% ao ano). Choque de realidade no discurso recente da presidente Dilma Rousseff de que seu governo teve o mérito de levar o país ao menor patamar de juros da história. Na contramão dos juros altos, está a alta da inflação - cada vez menos sazonal, a ameaçar o ganho dos trabalhadores, os mais pobres em especial.

Incertezas na economia, por óbvio, levam a incertezas na política. Nunca é demais lembrar que a sucessão presidencial foi artificialmente antecipada… O movimento imediato à safra de dados negativos da economia certamente será por maior cobrança no desempenho da equipe econômica do governo. As taxas de aprovação de Dilma permanecem nas estrelas e há margem de manobra de sobra para conduzir o barco com certa segurança rumo à reeleição. Mas...

Imprimir

BLOCO DE NOTAS

No Quinta, 30 Maio 2013 12:04.

'Me inclua fora dessa...'

No rescaldo da operação 'Sertão – Veredas' que a Polícia Federal e o Ministério Público realizaram no início desta semana, a assessoria de comunicação do prefeito de Januária, Manoel Jorge (PT), mandou nota para veículos de imprensas (este Em Tempo Real incluso) para informar que sua administração (2013/2016) não tem nenhuma relação com os fatos que levaram para a cadeia 15 pessoas (empresários, políticos e servidores públicos) suspeitas de desvios de recursos públicos. Os fatos que deram origem à operação são de tempo anterior ao mandato do atual prefeito, explica a nota de Manoel Jorge.

O ex-prefeito Maurílio Arruda (2009/2012) também ligou para o signatário desta página para dizer que a participação do ex-secretário do seu governo e atual secretário de Finanças de Itacarambi, André Rocha (já liberado após prestar depoimento), é de episódio também anterior à sua gestão. Segundo Arruda, André Rocha é investigado porque, durante a administração do ex-prefeito de Januária Sílvio Aguiar (PMDB), teria sido o homem errado, no lugar errado ao aceitar servir de pombo-correio entre dois personagens presos pela Polícia Federal na última segunda-feira, a saber: o empresário e suposto mentor do esquema de fraudes em licitações Marcus Vinicius Crispim, o Corby, e o então procurador do município, Vandeth Mendes Júnior. Feito os esclarecimentos.

E por falar nele...