Artigos

Imprimir

TRAVESSIA EM MANGA TEM NOVA EMBARCAÇÃO

No 10 Julho 2017.

Com custo de R$ 4,4 milhões, Balsa Califórnia tem capacidade para 65 veículos e oferece lanchonete a bordo

Motivo de reclamações dos usuários do sistema ao longo dos últimos meses, a travessia sobre o Rio São Francisco entre Manga e Matias Cardoso, no extremo Norte de Minas, terá um reforço a partir desta terça-feira (11/7). A empresa concessionária do serviço, a Navegação Confiança, de Belém do Pará, começa a operar a Balsa Califórnia, com capacidade para transportar até 65 veículos simultaneamente.

A embarcação conta com serviço inédito de lanchonete a bordo e tem espaço para acomodar 196 passageiros em seus dois pavimentos, metade deles sentados, com vagas reservadas para portadores de necessidades especiais, idosos e grávidas, e a outra metade em pé.

A embarcação tem 54 metros de comprimentos por 12,5 de largura, com porte bruto de 622 toneladas e área útil superior a 600 metros quadrados em sua estrutura de dois andares. O diferencial da Balsa Califórnia serão os serviços de bordo oferecidos por uma lanchonete no segundo andar, onde os passageiros deverão ser instalados com mais segurança durante o tempo da travessia.

Segundo a Navegação Confiança, o investimento na embarcação foi da ordem de R$ 4,4 milhões, valor eu incluí o custo da plataforma da balsa, construída em estaleiro do próprio armador, além do rebocador e motor de propulsão. A travessia entre Manga e Matias Cardso passa a contar agora com três balsas. A chegada da Califórnia deve contribuir para a melhoria na prestação do serviço, que tem sido alvo de críticas por parte dos usuários desde que a empresa paraense assumiu a concessão, há pouco mais de um ano.

Sinais trocados

A Navegação Confiança foi a única empresa a participar da licitação lançada pela Secretaria de Transportes e Obras Públicas de Minas Gerais (Setop), no segundo semestre de 2015, já no governo do petista Fernando Pimentel. Antes disso, a Setop tentou licitar a travessia, ainda durante o mandato do ex-governador Antonio Anastasia (PSDB), mas não houve interessados no negócio, nem mesmo entre as seis empresas que atuavam no local naquela ocasião.

A concessão do serviço da travessia em Manga tem prazo previsto de 15 anos e vai até 2033, com potencial de geração de receitas da ordem de R$ 115 milhões durante o período. O governo de Minas, no entanto, dá sinais contraditórios em relação ao assunto.

Na semana passada, a Setop se posicionou de forma contraditória ao liberar o valor de R$ 2,4 milhões para a elaboração do projeto de engenharia da ponte sobre o Rio São Francisco, entre os municípios de Manga e Matias Cardoso. A vencedora da licitação realizada pelo Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem (DEER/MG), foi a empresa Enecon - Engenheiros e Economistas Consultores, com sede em Belo Horizonte.

O projeto deve ficar pronto daqui a oito meses, mas o governo de Minas não tem dotação orçamentária para realizar a obra. A conclusão do projeto-executivo não garante a execução da obra da ponte, que depende ainda de previsão orçamentária dos recursos para efetivamente sair do papel. A decisão do governo estadual em autorizar o projeto básico, entretanto, é um passo importante para a concretização desse sonho que agora mobiliza lideranças de toda região, sob a liderança de autoridades ligadas ao Judiciário e o Ministério Público local, numa espécie de concertação suprapartidária em favor da ponte.

Se, e quando a ponte for construída, a concessão para a Navegação Confiança perde o objeto e validade.

Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Entre os termos de uso do espaço para comentários estão a restrição a comentários racistas, misóginos e homofóbicos, além de xingamentos e apologias ao uso de drogas ilícitas, crimes inafiançáveis ou proselitismo partidário. Os comentários serão moderados ou recusados para evitar excessos.


Código de segurança
Atualizar