Política

Imprimir

MANGA: QUILOMBOLAS SEM FERIADO E MACAÉ

No 19 Novembro 2017.

Movimento comemora Dia Consciência Negra no ano em que Quinquinha vetou feriado

As lideranças do movimento negro em Manga chegou a cogitar com a presença da secretária estadual de Educação de Minas Gerais, Macaé Maria Evaristo dos Santos, no evento que vai comemorar nesta segunda-feira (20) o Dia da Consciência Negra no município.

Um dos principais ativista do movimento em Manga, o pastor evangélico Isaias do Nascimento diz que havia "uma grande possibilidade" de Macaé Evaristo participar do ato local pelo Dia da Consciência Negra em Manga, mas que a visita dependia muito da logística, já que a secretária tinha agendados compromissos em outras regiões do Estado.

A presença de Macaé em Manga seria demonstração de prestígio do movimento quilombola local, para irritação dos donos de terras que não enxergam com bons olhos a movimentação que propõe a desapropriação de terras produtivas para acomodar os afrodescendentes.   

As comemorações do Dia da Consciência Negra contam com a organização da associação Vale dos Quilombos, que reúne comunidades quilombolas em Manga engajados na luta jurídico-administrativa pela demarcação de reservas no município, a exemplo do que acontece no vizinho município de São João das Missões em relação aos indígenas, que resgatariam a forte presença dos imigrantes africanos na formação histórica local.

Segundo o movimento negro local, o município conta atualmente com 13 comunidades quilombolas reconhecidas ou em processo de reconhecimento. Historicamente, segundo as lideranças quilombolas, o município chegou a registrou o marco de detentor do maior número de ajuntamentos de comunidades negras em Minas Gerais.

Quinquinha vetou feriado

O evento desta segunda-feira está previsto para acontecer na Avenida Tiradentes, na altura do prédio do antigo Mercado Municipal e deve contar com a presença das estudantes das escolas das redes do município e estado. Da programação constam apresentações culturais dos remanescentes quilombolas, estandes com exposição e venda de produtos agrícolas, além de artesanatos e apresentações de artistas regionais.

Apesar do dia festivo, o movimento quilombola em Manga não tem muito o que comemorar. O prefeito Quinquinha de Quinca de Otílio (PPS) vetou, em junho passado, projeto de Lei que instituiria o Dia da Consciência Negra no âmbito do município. Proposta por um vereador, a matéria previa a criação de mais um feriado no calendário local para promoção das comunidades remanescentes de antigos quilombos do município, mas foi vetado pelo prefeito após pressão da Associação Comercial Empresarial e Industrial de Manga (Acim).

O Dia da Consciência Negra, comemorado a cada 20 de novembro é considerado ponto facultativo no plano nacional, mas passaria a ser feriado também em Manga, a exemplo do que acontece em algumas centenas de municípios do país. A análise do veto do prefeito acabou em confusão, após o líder do prefeito na Câmara de Manga, vereador professor Evilásio Amaro (PPS), manobrar para evitar que a Casa derrubasse a decisão do prefeito de engavetar o projeto.

O que acabou acontecendo, a despeito do voto de Minerva ser instituto previsto em qualquer casa legislativa do país. Quinquinha não queria o feriado da Consciência Negra e contou com os préstimo do professor Evilásio para fazer não acontecer. 

 


Leia também:

EVILÁSIO BARRA DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA

PALMARES É AQUI?

MACAÉ E A NARRATIVA DA INCLUSÃO

A PARTE QUE LHE CABE NESTE LATIFÚNDIO

MANGA TERÁ RÁDIO TEMÁTICA PARA QUILOMBOLA

RAPAPÉS PARA MACAÉ

 

 

 

 

 

Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Entre os termos de uso do espaço para comentários estão a restrição a comentários racistas, misóginos e homofóbicos, além de xingamentos e apologias ao uso de drogas ilícitas, crimes inafiançáveis ou proselitismo partidário. Os comentários serão moderados ou recusados para evitar excessos.


Código de segurança
Atualizar