Example of Table Blog layout (FAQ section)

Imprimir

ALVISSARAS, CAPITÃO! MEU CAPITÃO-GENERAL! (*)

Escrito por Luís Cláudio Guedes No 18 Maio 2013.

Vereador abre seleção para escolha de assessores de gabinete, com salários pagos do próprio bolso

###Proposta atraiu cerca de 120 interessados, que já participaram de palestras sobre boas práticas na política

Com a colaboração de Stela Abreu

A política brasileira tem sido pródiga em produzir más notícias para a cidadania. Mas eis que surge algo bom no árido sertão do norte-mineiro. Campeão de votos (1.194 sufrágios) na eleição para a Câmara de Januária do ano passado, o vereador Pedro Osório (PSDC) finaliza processo seletivo simplificado para escolha de dois assistentes parlamentares.

Em inciativa inusitada, o parlamentar, que está em primeiro mandato, abriu mão do assistente de gabinete pago pela Câmara de Januária. Osório divulgou sua intenção de pagar com o próprio salário os futuros assessores em posts nas redes sociais e por meio de convite no corpo a corpo nas portarias faculdades do município. Biólogo de formação, Pedro Osório (que domina uma serpente na imagem deste post) é professor licenciado do Centro Federal de Educação Tecnológica de Januária (Cefet), o antigo Colégio Agrícola.

A remuneração oferecida não é lá grande coisa: apenas um salário mínimo para jornada de trabalho de 36 horas semanais (seis delas no sábado, quando a Câmara de Vereadores não abre nem por decreto divino, mas que podem ser compensadas em treinamentos e especialização). Pedro Osório diz que o gesto é tentativa de quebrar o manjado círculo vicioso (do qual a administração pública anda bem viciada) de prometer emprego para cabos eleitorais e depois levá-los a tiracolo para os gabinetes – sempre as expensas da viúva. O vereador garante que o processo seletivo será conduzido com a maior lisura, sem levar em conta a filiação partidária ou influência social dos candidatos. “O que vale é a qualificação, com base em competências e visão social”, garante.

Proposta atraiu mais interessados que os bons vestibulares...

O vereador diz que não oferece oportunidade para a carreira na Câmara Municipal, mas a participação em projeto de desenvolvimento social na área de políticas públicas, que vai exigir dos candidatos muita motivação e a crença de que é possível mudar o mundo a partir da mudança de atitude e dos bons exemplos que as boas condutas possam irradiar.

O período de inscrições foi encerrado no último dia 12. Segundo a assessoria do vereador, os candidatos vão passar por avaliações coordenada por equipe independente e formada por mobilizadores sociais do município. Os candidatos devem ter ainda ensino médio completo, habilidades com informática, além de gosto e facilidade pela leitura e interpretação de textos.

Cerca de 120 pessoas manifestaram interesse em participar da seleção, que teve nesta semana sua primeira etapa. Os candidatos participaram de preleção em que a comissão organizadora do certame apresentou os cinco mandamentos do vereador Osório (legislar para o bem comum, respeitar os anseios do povo, deliberações compartilhadas com a população, fiscalizar o Executivo com transparência e legalidade, julgar com imparcialidade e justiça). Em seguida, foram convidados a redigir uma redação em que dissertassem sobre sua visão de mundo no território da politica, além da sugestão de intervenções para mudar o quadro de descrença com o fazer político. A proposta, como não poderia deixar de ser, causou espanto entre os interessados no 'emprego'.

A proposta é selecionar pessoas sintonizadas com os valores sociais, políticos e comunitários defendidos pelo parlamentar, além de capacidades de intervir no processo das ações legislativas para auxiliar o mandato de Osório a interagir com o povo, “levantando as demandas e encaminhando intervenções com visão democrática e social”. Coisa para idealistas, que não se importe com a baixa remuneração. Em tempo: os futuros assistentes de Osório vão contar com todas as garantias trabalhistas.

Se o leitor chegou até aqui, pode estar se perguntando: trata-se de marketing eleitoral dos bons ou há mesmo algo de novo no reino da Dinamarca, em paráfrase livre e diversa do que captou as célebres narinas de Hamlet. Inusitado, certamente é. Os vereadores de Januária recebem salários brutos de pouco mais de R$ 5 mil. Somados os encargos sociais aos salários, Pedro Osório vai gastar quase metade do que recebe em valores líquidos mensalmente da Câmara. Não é nada, não é nada já conseguiu elevar a cabeça um pouco acima daquela linha do anonimato a carências de boas ideias em que a grande maioria dos eleitos ao cargo de vereador optam por permanecer.


(*) Verso do poema português 'A nau catarineta', de domínio público

Adicionar comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Entre os termos de uso do espaço para comentários estão a restrição a comentários racistas, misóginos e homofóbicos, além de xingamentos e apologias ao uso de drogas ilícitas, crimes inafiançáveis ou proselitismo partidário. Os comentários serão moderados ou recusados para evitar excessos.


Código de segurança
Atualizar