Justiça bloqueia bens de ex-prefeito de Miravânia e construtora para garantir ressarcimento por obras não concluídas

CONTEÚDO EXCLUSIVO

Saiu na quarta-feira (17) decisão do juiz Mateus Queiroz de Oliveira, da Comarca de Manga, em ação de improbidade administrativa, com pedido de medida cautelar, contra o ex-prefeito de Miravânia, Elpídio Gomes Dourado (PTB), o Bila, e a empresa Ribeiro Sampaio Ltda., com nome de fantasia de Construtora Santa Fé. O magistrado concedeu prazo de 15 dias, a contar depois da publicação da liminar, para a apresentação da defesa por parte dos citados.

A ação foi proposta pelos advogados do município e denuncia ausência na prestação de contas em convênio de cooperação técnica e financeira firmado pelo então prefeito Bila com a Secretaria de Estado e Desenvolvimento Social (Sedese). O acordo previa repasses de recursos no valor total de R$ 650 mil, em cinco parcelas iguais de R$ 130 mil.

Ainda cabe recurso à liminar que determinou o bloqueio dos bens dos do ex-prefeito e da construtora até o limite de R$ 208,5 mil, valor que deverá ser ressarcido aos cofres públicos na hipótese de condenação. Bila comandou o pequeno município do mais extremo norte-mineiro por dois mandatos consecutivos, entre os anos de 2005 a 2012. Bila enfrenta outras ações judiciais movidas pelo seu desafeto político e atual prefeito de Miravânia, Raimundo Luna (DEM), e forma na extensa lista de ex-mandatários municipais às voltas com advogados de defesa após deixarem seus cargos.

Obras não concluídas

De acordo com o plano de trabalho listado no convênio, parte da verba liberada pela Sedese seria empregada na construção de um centro referenciado de assistência social (CRAS) e na reforma de uma praça no perímetro urbano de Mirâvania – em valores totais de R$ 119 mil. Segundo a denúncia, foram gastos R$ 50,4 mil acima do valor licitado. Além disso, o ex-prefeito Bila teria autorizado pagamentos de R$ 208,5 mil para a Construtora Santa Fé, que não concluiu as obras previstas no contrato. O ex-prefeito Bila não foi localizado para comentar o assunto.

Comentários  

 
0 #6 Antonio Araujo 25/12/2013 16:06
COMENTÁRIO RECUSADO
Citação
 
 
+1 #5 Cicero Cavalcante 24/12/2013 10:53
boa matéria, realmente é dura a vida dos prefeitos não vacilões mas incompetentes que confundem o público com o privado.

COMENTÁRIO MODERADO
Citação
 
 
+1 #4 EU AMO MIRAVANIA 23/12/2013 08:19
A justiça tarda mais não falha ja se dizia isso muito tempo atrás e é fato neste caso aqui em Miravânia o ex prefeito deitava e rolava com o dinheiro público e achava que a sua permanência no pode seria eterno mais agora a ficha caiu o poder ja não estar em suas mãos e nunca mais há de voltar, pois não é digno em gerir o nosso município nos sabemos que ainda vai vir atona muito mais a esse respeito, será que o ex achava que estamos ainda naquele tempo do Pai la em Manga que riscava obra com dedão do pé e nada se fazia e ficava por isso mesmo o tempo passou e as coisas mudaram e muito. Eu amo Miravânia viva nossa gente querida.

COMENTÁRIO MODERADO
Citação
 
 
0 #3 TIÃO COVER 22/12/2013 21:15
O BICHO TA PEGANDO,MUITA RESPONSABILIDAD E COM A COISA PUBLICA AINDA É POUCO,JÁ TEM EXEMPLOS NA REGIAO.
Citação
 
 
+1 #2 Antonio Araujo 22/12/2013 13:09
COMENTÁRIO RECUSADO
Citação
 
 
0 #1 Daiane 22/12/2013 11:03
Só corrigindo a sigla CRAS significa Centro de Referência de Assistência Social.
Citação
 

Adicionar comentário