BR-135: UMA LUTA DE DÉCADAS CONTRA O DESCASO

BR-135: UMA LUTA DE DÉCADAS CONTRA O DESCASO

Bloqueio na rodovia é a novidade da estação na…

More...
SACO SEM FUNDO DE MALDADES...

SACO SEM FUNDO DE MALDADES...

Governo eleva alíquotas de contribuição previdenciária de empresas…

More...
DESEMPREGO PREOCUPA

DESEMPREGO PREOCUPA

Maioria dos brasileiros está pessimista em relação a emprego, mostra pesquisa…

More...
PROTESTO INTERDITA ESTRADA EM JAÍBA

PROTESTO INTERDITA ESTRADA EM JAÍBA

Caminhoneiros do município aderem ao protesto nacional e fecham acesso para Janaúba na MG-401…

More...
MANGA GANHA SAFRA DE OBRAS DE R$ 5,7 MILHÕES

MANGA GANHA SAFRA DE OBRAS DE R$ 5,7 MILHÕES

Construção do novo mercado faz parte do pacote que tenta mudar rumos da atual administração…

More...
Frontpage Slideshow | Copyright © 2006-2010 JoomlaWorks, a business unit of Nuevvo Webware Ltd.

Mas a farra corre solta em Malhada, Itacarambi e Matias Cardoso, que mantêm eventos, apesar da escassez de obras

No sentido Horário: Encoh cancelou festa em Jaíba, mas doutor Jimmy , Ramon e Edmárcio da Sisan querem o povo na praça, apesar de queixas com baixa arrecadação

O município de Jaíba, no extremo Norte de Minas, passou por verdadeiro abalo sísmico no segundo semestre do ano passado, após a abertura da investigação pela Câmara de Vereadores que resultou na cassação do ex-prefeito Jimmy Murça (PCdoB). A cadeira de prefeito do município chegou a ser ocupada por três nomes diferentes ao longo do mês de dezembro, até a posse do vice Enoch Vinicius Campos de Lima (PDT), que permanece no cargo por meio de liminar.

Partiu de Enoch a acertada decisão de não realizar, neste ano, a tradicional Festa da Banana. O prefeito decidiu manter as comemorações do aniversário de emancipação da cidade, com o evento de motocross na localidade de Mocambinho - Projeto Jaíba. O ex-prefeito Sildete Araújo, o Detinho, que segue preso acusado de improbidade administrativa quando governo o município (2009\2012), gastava horrores com a festa e, no auge da animação, chegou a levar a extinta banda de axé ‘Chicletes com Banana’ para animar a festança. Deu no que vimos.

De acordo com a assessoria da Prefeitura de Jaíba, Enoch manteve conversações com seu secretariado, que caiu como balde de gelo entre os foliões e com quem vislumbrava ganhar alguns trocados com o evento. O prefeito disse que ainda enfrenta dificuldades de caixa por conta de dívidas herdadas dos antecessores Jimmy Murça e o próprio Detinho Araújo.

A prioridade de Jaíba, segundo o prefeito, é manter o compromisso de pagar em dia o funcionalismo público, como forma de garantir boa prestação de serviço para a população nos setores da saúde e a educação.

"Sei que posso ser criticado por isso, mas seria irresponsabilidade minha realizar uma festa de tamanha proporção enquanto ainda existem carências em diversas áreas da administração”, justificou Enoch, que se comprometeu em caprichar na preparação da Festa da Banana para 2015, e se os ventos soprarem a favor, claro, e ele permanecer no cargo.

Rick & Renner na Festa do Limão

STF suspende liminar que determinava saída de índios acampados em fazenda no município de Itacarambi

Nova reviravolta na cruzada que lideranças da etnia xakriabás levam adiante para aumentar a área da reserva indígena localizada em São João das Missões – no extremo Norte de Minas. O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Joaquim Barbosa, suspendeu, na terça-feira (18), decisão judicial da 5.ª turma do Tribunal Regional Federal da 1.ª Região, em Brasília, que determinava a reintegração de terras da fazenda São Judas Tadeu, localizada na comunidade de Vargem Grande, a 36 quilômetros de Itacarambi, em área próxima à reserva xakriabá.  

O Tribunal Regional Federal havia estipulado, no final do mês de janeiro, o prazo de 30 dias para que o grupo formado por cerca de 500 índios desocupasse a Fazenda São Judas Tadeu, que tem seis mil hectares de terra produtiva e foi invadida em setembro de 2013 pelos xakriabás. A decisão, naquela altura, foi um revés nos planos das lideranças indígenas na região e de militantes dos Direitos Humanos e do Cimi (Conselho Indigenista Missionário) por era favorável aos proprietários da fazenda ao ratificar liminar expedida pela 2.ª Vara Federal em Montes Claros, que reconhecia haver indefinição quanto à demarcação correta da terra indígena.

O ministro Joaquim Barbosa também tornou sem efeito a liminar anterior expedida pela 2ª Vara Federal da Subseção Judiciária de Montes Claros, que determinava a desocupação da área pelos xakriabás e reconhecia o direito das terras aos proprietários da fazenda.

A entrada do notório Joaquim Barbosa na querela agrária norte-mineira virou motivo de comemoração entre a etnia xakriabá. O cacique Santo Caetano, 61 anos, sempre contestou, e até com certa arrogância, as decisões judiciais que o obrigavam a desocupar a propriedade ao dizer que os índios não saíram do local. "Estamos na propriedade e não pretendemos sair. A decisão [que obrigava os índios a dexarem a área] é incorreta e foi tomada por falta de conhecimento das necessidades do povo Xakriabá e dos direitos que temos em relação à terra", dizia o cacique.

Caetano repete as alegações que aprendeu com a turma ávida por ver o circo pegar fogo no Norte de Minas e reclama do pouco espaço de terras para o seu povo. “Há sete anos que a gente luta pela demarcação do nosso território, sabemos qual é a extensão dele. Hoje, o povo Xakriabá tem 10 mil pessoas e um espaço muito pequeno para sobrevivência. Estamos fazendo uma retomada dessas terras do Vale do Peruaçu”, diz o cacique. O Vale do Peruaçu, para quem não sabe, abriga as terras mais férteis da região. 

O ministro Joaquim Barbosa não teria como saber, do seu gabinete em Brasília, as especificidades que rondam o caso. Terra os índios Xakriabás têm e até com relativa sobra, o que falta apurar é se todos que estão nos limites da aldeia são efetivamente índios ou agentes de uma intrusão às avessas, não prevista nos manuais do neoindigenismo de reocupação.

Na sua decisão, Joaquim Barbosa diz que levou em conta “a densa plausibilidade de que áreas do imóvel objeto da ação venham a ser declarada ocupação tradicional indígena”. Música para os ouvidos de Santo Caetano, que se recusa a aceitar os limites da reserva estabelecidos há pouco mais de 30 anos pela Fundação Nacional do Índio (Funai).

Conflito agrário

Governador deixa cargo em duas semanas e abre espaço para o vice, que desistiu de novo mandato

Osmar Freire\Agências Minas

O governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia (PSDB), anunciou, nesta terça-feira (18), durante coletiva no Palácio Tiradentes, em Belo Horizonte, que vai antecipar sua saída do Governo do Estado para o próximo dia 4 de abril. O vice-governador, Alberto Pinto Coelho (PP), que vai assumir o cargo após ter refeito seus planos e veleidades de permanecer por lá por mais quatro anos, também participou do evento. O PSDB definiu, recentemente, que o ex-deputado Pimenta da Veiga será o candidato da base aliada em Minas.

Anastasia informou que deixa o cargo por que teria recebido convite do senador e pré-candidato do partido à Presidência da República Aécio Neves para participar da campanha nacional. Outro motivo alegado é a obediência à legislação eleitoral, de forma que possa ficar disponível para a eventual candidatura ao Senado nas eleições de outubro.

Reservatórios construídos por Quinquinha desabam e colocam em xeque fama do 'tocador de obras' do ex-prefeito

Imagem do que restou da caixa d'água em comunidade rural próximo ao Brejo de São Caetano: estrutura metálica retorcida pode indicar falha de projeto

Pelo menos três de quatro módulos planejados para combater a estiagem em comunidades rurais em Manga desabaram ao longo dos três últimos anos. Os reservatórios foram construídos durante a gestão do ex-prefeito Quinquinha Oliveira (2007-2012), segundo denúncia do atual secretário de Obras e Serviços Urbanos do município, Jercílio Vieira Lima. A suspeita, segundo o secretário, é de que teria havido falhas no projeto da estruturas que davam sustentação às caixas d’água responsáveis pelo abastecimento de água das localidades de Impueira, Montezídeo e Pedras do Japoré.

Dois desses desabamentos aconteceram ainda durante o mandato do ex-prefeito Quinquinha, que mandou refazer as bases de sustentação das caixas d’água de Impueira e Montezídeo. Há cerca de duas semanas, mais um reservatório veio ao chão e quase atingiu o operador de motor Walter Bião que estava próximo do local no momento do acidente. Segundo Bião, a estrutura veio abaixo com um estrondo antes mesmo da caixa de polietileno estivesse completamente cheia.  

De acordo com Jercílio Vieira, as obras de captação e armazenamento da água são de responsabilidade da Construtora Santos e Menegazzo, da cidade de Brasília de Minas. A empresa venceu licitação para construção de quatro reservatórios com capacidade para armazenagem de 20 mil litros de água, cada um. O desmonoramento das estrutura sugere que podem ter sido utilizado material de baixa qualidade ou ainda de falha no cálculo para definir a capacidade das estruturas metálicas que serviam de suporte para os reservatórios. Contatado por e-mail e telefone celular, o ex-prefeito Quinquinha não se dignou a comentar o episódio.

Mosaico com imagens dos estragos no reservatório da Escola Conto de Fadas: problema recorrente na obras do ex-prefeito Quinquinha

Construir caixas d´água não parece mesmo ter sido algo que a administração do ex-prefeito Quinquinha Oliveira soube fazer com maestria. Há exatamente um ano, uma das caixas de abastecimento do Centro de Educação Infantil Conto de Fadas, que fica no Bairro Boa Vista, em Manga, com capacidade para 30 mil litros de água, desabou durante a madrugada, com enorme estrondo que assustou os moradores da área próxima à escola. A obra foi executada pela Construtora Ribeiro Teixeira (CRT), da cidade de Santa Maria da Vitória, na Bahia, e era tratada até então como uma das joias da coroa da gestão do ex-prefeito.

Entrou areia no asfalto

Aprovado no exame da OAB, Maurício aposta em ‘etapa de superação’ para retomar sonho de comandar Manga

Terceiro colocado na disputa pela Prefeitura de Manga, em 2012, com 22,2% dos votos válidos, o ex-vereador e assessor parlamentar Maurício Magalhães de Jesus, o Maurício Cabeção, passou pelas duas etapas eliminatórias do exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Magalhães ainda não concluiu o curso de Direito na Favag (Faculdade do Vale do Gorutuba), em Janaúba, e, por isso, ainda não pode exercer a profissão. O que só deve acontecer a partir do ano que vem, quando receber em definitivo o seu número de registro naquela entidade de classe.

Magalhães comemorou a conquista antecipada com uma postagem na rede social Facebook e comemora os 400 e tantos ‘likes’ (curtidas) e 200 e tantos comentários para o assunto. Graduado em Física, com o reforço de outras três pós, o futuro advogado diz continuar com o sonho de comandar o município, pois tem consciência de que essa não era fácil para uma primeira e única tentativa. Desde que deixou a vereança, há 15 meses, Magalhães ganha a vida como assessor do deputado federal Bernardo Santana (PR) e no gerenciamento de uma rede prestadora de serviços póstumos que atente em municípios do extremo norte-mineiro.

 

Infância pobre

 Anastácio faz mudanças no primeiro escalão da Prefeitura, mas insiste em velhos erros

Mais do mesmo: Jercílio (E) virou o 'curinga' do governo Anastácio, que nomeou o também petista Evaldo Moura para o Agronegócio

O economista Luiz Wellington Alencar Chaves, o Lito de Zé Banjinho, pediu exoneração do cargo de secretário de Obras e Serviços Urbanos da Prefeitura de Manga no início do mês de março. A notícia só foi divulgada neste final de semana no site oficial da Prefeitura e o Em Tempo Real apurou que a alegação para pedir o boné teria sido por razões de cunho pessoal.

Saudado à época como surpresa e oxigenação para o iniciante governo Anastácio, Lito, o breve, ficou apenas nove meses na Secretaria de Obas e sua estadia no cargo  passou praticamente em branco. Não se ouviu dele nenhuma formulação ou planos para contribuir com a ainda titubeante administração do prefeito Anastácio Guedes (PT), que em 15 meses no cargo segue sem obras de iniciativa e recursos próprios.

O pedido de exoneração de Lito obrigou o prefeito Anastácio a realizar a segunda minirreforma no seu secretariado. O presidente do PT local e cunhado do prefeito, Jercílio Vieira, que ocupava a Secretaria Municipal de Agronegócios e Desenvolvimento Sustentável, foi remanejado para a pasta da Secretaria Municipal de Obras, que ficou vaga com a saída de Lito. A pasta de Agronegócios, por sua vez, foi entregue, depois do Carnaval, para o comando do também petista Evaldo de Moura Santos, que chegou a ser cogitado para ocupar a futura Secretaria de Cultura, uma promessa não cumprida do atual governo.

“As mudanças são parte de amplo projeto de reestruturação que vem sendo implementado desde o início do ano e que tem com principal objetivo otimizar e dinamizar os serviços públicos prestados pela Prefeitura de Manga”, justifica a administração em nota publicada no site do município no último final de semana.

Pouco provável que alguma mudança venha efetivamente a ocorrer em razão dessa mudança no xadrez do primeiro escalão do governo Anastácio. O senso comum diz que gestores com baixa formação nas diversas áreas demandadas pela administração pública, podem suprir essa deficiência com a formação de bons quadros de assessoramento. Desde que saiba fazer as escolhas corretas e as cobranças necessárias para a máquina andar. Não parece ser o caso de Manga, onde um prefeito sabidamente fraco se faz rodear de assessoramento abaixo de uma linha que poderia ser considerada mediana.

O tempo passa e a administração não deslancha, ancorada na muleta de que há muitos recursos prometidos para o município – recursos esses capazes de se transformar em grande safra de obras antes do fim do mandato. No mundo real, no entanto, o prefeito é duramente criticado por sua inoperância em coisas relativamente simples: o lixo que se acumula nas ruas e o caos que a cidade vive com as obras de implantação da rede de esgoto. Mesmo sem uma oposição digna de tal nome, Anastácio sofre o desgaste de não ‘colocado um único tijolo em obras no município ou paralelepípedos em vias públicas’, como é comum captar nas redes sociais.

Reforma pífia

Prefeitos voltam a Brasília para cobrar aumento no FPM

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) mobiliza prefeitos, vice-prefeitos, vereadores para participar de nova mobilização aqui em Brasília, no dia 25 de março. Os prefeitos voltam a pressionar o governo federal para que autorize o reajuste de 2% do Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

Já no Congresso Nacional, a pressão é para que deputados e senadores apressem a reformulação da lei complementar que propõe mudança na cobrança do imposto sobre serviços (ISS), que é da competência exclusiva de municípios. Também estão na pauta as desonerações do IPI, com a cobrança para que futuras reduções no tributo não impactem no porcentual repassado aos municípios

Na pauta da mobilização estão ainda a apreciação pelo Supremo Tribunal Federal da lei que trata da a redistribuição dos royalties de petróleo e gás e o encontro de contas das dívidas previdenciárias.
O presidente da CNM, Paulo Ziulkoski, diz que a adesão das lideranças municipais é importante para a organização e logística do evento.

"Ao realizar a pré-inscrição, os prefeitos e vice-prefeitos podem receber a carteirinha confeccionada pela CNM e ter mais facilidade no acesso ao Congresso Nacional. Além de tornar mais rápida a entrada no plenário onde ocorrerá a Mobilização. Politicamente, as inscrições reafirmam o apoio dos gestores com o movimento municipalista", diz Ziulkoski.

Manoel Jorge recepciona médicos cubanos com festa e partido sinaliza arroubos de autonomia

O prefeito Manoel Jorge (de braços cruzados, ao centro) comemora chegada de médicos cubanos: enfim uma boa notícia  (Foto: José Maria Guedes)

Caiu uma chuvinha na secura do quintal do prefeito de Januária, Manoel Jorge de Castro (PT), cuja administração padece de crônica falta de boas notícias para levar à população. O prefeito ofereceu curiosa, quiçá inédita, recepção à equipe de seis médicos cubanos, levados ao município pelo programa ‘Mais Médicos’, do governo federal. A recepção teve lugar no auditório do Hotel Viva Maria, o mais caro da cidade, na noite da última quinta-feira (13).

O encontro de boas-vindas reuniu assessores de primeiro e segundo escalão da administração, a nata do petismo local, animada, quem sabe, com uma possível arrancada da administração, além de vereadores. Os cubanos sentiram-se em casa após serem obrigados a ouvir duas horas de muito discurso e oba-oba, o que é um nadica de nada se comparado com os pronunciamentos oficiais do castrimo. Não faltou nem mesmo a boa comida do Viva Maria, em jantar de confraternização após a falação de Manoel e sua turma.

Os gringos não devem ter entendido muito a razão para tanto rapapé e o porquê do tratamento VIP que receberam, mas é que, depois de intensa crise no setor, a administração vê a chegada dos cubanos como alternativa possível de salvação para a lavoura. Se a ditadura dos irmãos Castro permitir a comunicação entre o ‘sexteto’ e seus parentes em Cuba, provavelmente eles farão menção ao evidente despropósito da pompa com que foram recepcionados em Januária. Talvez não fosse para tanto, a não ser que Manoel Jorge precisa de boas notícias desesperadamente  

Ora, o Brasil é a sétima economia do mundo e se gratidão possa existir, deveria partir da ditadura cubana, que recebe importante reforço da caixa ao mandar esse exército de profissionais da saúde para cá. Fato é que a chegada dos cubanos a Januária foi tratada como ’dia histórico’ pelo prefeito Manoel Jorge. A conquista é importante, sem dúvida, sobretudo porque o reforço no plantel de médicos não representa custo adicional para o município – além de que, noves fora a barreira da língua, a medicina cubana tem sim como contribuir com a parcela de brasileiros que estão à margem dos serviços de saúde. Mas daí a conferir status de evento histórico à chegada dos cubanos, vai uma boa distância - algo do tipo Januária\Havana.

Não obstante o acerto do 'Mais Médicos', a inoperância do governo federal na área da saúde faz dormir em alguma gaveta do Ministério da Saúde projeto que criava uma espécie de cadastro nacional do paciente, automatizado e acessível via cartão SUS. Tivesse sido implantado, o programa permitiria que uma simples do de dente de um paciente qualquer, lá nos cafundós de Januária, fosse compartilhada nacionalmente por sistemas públicos e privados de saúde. Nunca é demais lembrar, um direito básico definido por nossa Constituição. Os governos, no entanto, não se atribuem o dever de fazer política de saúde, porque demagogia sempre rende mais votos.

De volta a Januária, veja o que disse a presidente do Diretório Municipal do PT em Januária, Lenice Ribeiro."Nossa cidade está de braços abertos para acolhê-los. Este momento é impar na história política de Januária, a população vai receber a notícia e com certeza todos vão se sentir muito felizes, pois vocês chegam à boa hora, momento em que a saúde de Januária passa por momentos delicados e de transformação”, discursou Lenice, para quem o reforço enviado pelo governo federal pode representar mais autonomia do partido no sincretismo partidários da administração Manoel Jorge. Lenice sugeriu ao 'companheiro' Manoel que se aproxime mais do partido e do governo federal, em crítica aberta sobre a parceria do prefeito com o deputados Arlen Santiago (estadual) e Zé Silva (federal). Manoel ouviu calado, sem sair do seu habitual estado de 'manoelmolência'.


Lançado em julho de 2013 pela presidente Dilma Rousseff, em tentativa de reverter a queda na popularidade após os protestos de junho, o ‘Mais Médicos’ faz parte de um amplo pacto de melhoria do atendimento aos usuários do SUS, com o objetivo de aperfeiçoar a formação de médicos na atenção básica, com a prometida ampliação do número de profissionais atuantes nas regiões carentes do país, caso do semiárido norte-mineiro em que Januária se insere.

Nomeado recentemente para o cargo, o secretário municipal de Saúde, Hermógenes Júnio Rodrigues Pedreira, avalia que os profissionais cubanos vão atender em comunidades rurais, priorizando a atenção primária, a prevenção e a promoção da saúde. “A extensão geográfica é um grande desafio para os serviços essenciais em nosso município, uma vez que temos comunidades com até 120 km de distância da sede e com acesso apenas por estradas de terra. A presença de médicos nessas localidades vai garantir um atendimento mais digno e humanizado à população”, diz Hermógenes.

Januária foi um dos primeiros municípios mineiros a aderir ao programa e já conta com quatro profissionais do ‘Mais Médicos’. Eles são brasileiros e atendem no Caic e nos bairros São Vicente e Boa Vista. Para Hermógenes Júnio, “além da melhoria nos serviços de saúde, essa parceria com o governo federal representa também uma grande economia para o município”. Os profissionais do programa recebem bolsa formação de R$ 10,4 mil por mês e ajuda de custo paga pelo Ministério da Saúde. Em contrapartida, as prefeituras ficam responsáveis por garantir alimentação e moradia aos participantes.

O prefeito Manoel Jorge e o deputado Paulo Guedes ao lado do ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha: reforço do 'Mais Médicos'

‘Médico brasileiro não topa ficar isolado’

Profissionais nomeados irão atuar nas bases do Samu de Brasília de Minas, São Romão, Pintópolis, São Francisco, São João da Ponte e Varzelândia

(*) Este texto é de responsabilidade da assessoria de imprensa do Cisrun


Os candidatos aprovados em concurso público para atuar nas bases do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) da microrregião de Brasília de Minas/São Francisco foram efetivados na manhã desta quinta-feira, em solenidade realizada na base do Samu de Brasília de Minas. Os profissionais nomeados irão atuar nas bases do Samu de Brasília de Minas, São Romão, Pintópolis, São Francisco, São João da Ponte e Varzelândia.

A solenidade contou com presença de autoridades municipais e regionais. Em seu pronunciamento, o presidente do Consórcio Intermunicipal de Saúde da Rede de Urgência do Norte de Minas (Cisrun) e prefeito de Bocaiúva, Ricardo Veloso, destacou a importância do trabalho realizado pelos profissionais do Samu e as conquistas alcançadas desde a criação do consórcio.

“Somos a primeira experiência do país na regionalização do Samu, e, desde 2009, quando foi organizada a Rede de Urgência e Emergência, sob a coordenação da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais, foram registradas expressivas melhorias no atendimento pré-hospitalar, impactando inclusive na redução de mortes por causas evitáveis na região. Tudo isso é resultado do trabalho de profissionais comprometidos e altamente qualificados, e da parceria solidária entre os governos Federal, Estadual e municípios consorciados”, destaca o presidente.

O presidente também ressaltou que no último ano foi renovada toda a frota de ambulâncias, proporcionando mais segurança e oferecendo melhor suporte aos socorristas. “Agora estamos trabalhando para ampliar a estrutura da sede operativa do Samu, buscando melhorar as condições do espaço físico para o trabalho da equipe técnica. A ampliação também vai abrigar a central de regulação do Corpo de Bombeiros, integrando ainda mais o trabalho das duas corporações”, completa Ricardo.

Antônio Ademar Afonso Ruas, secretário municipal de Fazenda e Gestão de Brasília de Minas, representando o prefeito Jair Oliva Junior, na solenidade, ressaltou a importância do trabalho do Samu para a população da microrregião. “Saber que podemos contar com os serviços do Samu é uma tranquilidade para a população, que passou a ter acesso a um atendimento qualificado em momentos difíceis e em locais onde dificilmente seria possível, se não fosse através do serviço de resgate do Samu”.

Concurso

Paulo Guedes desiste de buscar vaga no Congresso

O deputado estadual Paulo Guedes (PT) tem dito a aliados que desistiu da disputa por uma vaga no Congresso Nacional. Um upgrade na carreira do petista seria o curso natural da meteórica carreira que o levou a dois mandatos sucessivos na Assembleia de Minas. Guedes deve optar por concorrer a um terceiro mandato no legislativo mineiro, o que consolidaria de vez sua carreira nessa seara. Tudo, ele diz, em nome da fidelidade ao ex-deputado federal Virgílio Guimarães (PT), a quem diz ter dívida de gratidão pelo incentivo que recebeu para sair dos limites da política microrregional em Manga e alçar voo na política estadual.

Jardineiro fiel

Se não ocorrer nenhuma reviravolta até o final de junho, prazo-limite para a realização das convenções partidárias, Paulo Guedes vai manter a parceria vitoriosa com o deputado federal em primeiro mandato Gabriel Guimarães (PT), que vem a ser o herdeiro político de Virgílio. Pouco mais de um terço da votação de Gabriel em 2010 veio de urnas das zonas eleitorais do meio-norte mineiro, onde Paulo Guedes nada de braçadas no petismo em extensa base eleitoral. O petista avalia que tem cacife para dobrar os cerca de 90 mil votos que recebeu na última disputa, com base no recall da exibição da sua imagem em alcance regional após a participação no programa eleitoral em disputa pela Prefeitura de Montes Claros, há quase dois anos. 

Raquel no páreo

O pífio resultado que conseguiu nas urnas em 2010, quando disputou o cargo de deputada estadual, não desanima a atual primeira-dama de Montes Claros, Tânia Raquel Muniz (PTN). Naquela ocasião, Raquel recebeu 10,8 mil votos e não logrou sequer uma suplência para a Assembleia Legislativa. A decepção nas urnas, potencializada com a derrota do então deputado estadual e agora prefeito Ruy Muniz, que disputava, na ocasião, mandato para deputado federal, não desanima o casal Muniz. A eleição de Ruy para a Prefeitura de Montes Claros dois anos depois devolve a Raquel todas as esperanças de por fim à baixa colheita eleitoral que marcou sua frustrada tentativa de estreia na vida pública.

Lula em Moc

O pré-candidato ao governo de Minas pelo PT, Fernando Pimentel, deve série de caravanas pelo interior do Estado. Batizadas de 'caravanas da participação', esses eventos terão o objetivo de consolidar a liderança que Pimental mantém nas pesquisas até aqui. Uma das cidades a ser visitadas pela trupe petista será Montes Claros, no Norte do Estado. A data da viagem, no entanto, ainda não foi fechada porque depende da confirmação da presença do ex-presidente Lula, que teria manifestado interesse em fazer visita sentimental à cidade natal da sua primeira mulher, aria de Loures da Silva, a Lourdinha.

Passagem para Brasília